Em Família: Irmãos trilham carreira de sucesso no MMA

Confirmados no card do M-1 Challenge Global, no dia 22, Diego Davella e Heliton dos Santos Davella se preparam juntos para o evento russo e admitem ‘frio na barriga’ por lutarem na mesma noite

Thiago Fernando/vencer@diarioam.com.br

Foto: Reinaldo Okita e Divulgação

Manaus – Se o próximo dia 22 já prometia ser especial para a família Davella, na última semana, a data ganhou ainda mais importância. Após anunciar que Diego Davella faria o co-main event da edição 76 do evento russo de MMA, M-1 Challenge Global, a organização confirmou que seu irmão mais novo, Heliton dos Santos Davella, irá fazer sua estreia no Global contra o lutador local, Khamzat Dalgiev, no mesmo dia. Os atletas, oriundos do jiu-jítsu, estão em fase final de preparação na academia The Prime, localizada no Novo Aleixo, zona leste de Manaus, e embarcam nessa semana para Inguchétia, uma divisão federal da Rússia.

Detentor do cinturão do peso-pena (até 66 quilos) do Rei da Selva Combat, Heliton dos Santos tem um cartel bem positivo e repleto de lutas empolgantes. Aos 26 anos, o lutador coleciona 15 vitórias e apenas cinco derrotas na carreira. Entre os adversários, Heliton já enfrentou Dileno Lopes, Naldo Silva e Thiago Belo.

Seu adversário, o russo Khamzat Dalgiev tem nove lutas na carreira. No total, são oito vitórias e apenas uma derrota, em sua estreia, no M-1 Challenge 49.

Devido à característica dos lutadores, o duelo deve ser um combate no solo. Tanto Heliton quanto Dalgiev tem como forte a luta agarrada. Sobre isso, o amazonense comentou que a estratégia é conseguir cair por cima ou surpreender na trocação.

“Vou enfrentar um cara forte na luta agarrada. Estamos montando uma estratégia para defender queda, e se cair, cair por cima para finalizar ou nocautear. Estamos treinando em cima de uma estratégia. Estamos treinando forte tudo, porque sabemos o que o russo quer. Estamos treinando muay-thai, jiu-jítsu e a parte física”, disse o lutador, que afirmou ter ficado muito feliz com a confirmação da primeira chance internacional.

“Estava esperando esse contato, essa chance. Fiquei muito feliz. Era uma coisa que já esperava faz tempo. Uma vitoria na Rússia dará um up na minha carreira. Todos os atletas precisam de uma chance e agora chegou a minha vez”, citou Heliton.

Essa não será a primeira vez em que os irmãos lutaram no mesmo evento. Diego disse que, apesar deles ficarem com um frio na barriga na hora da luta do outro, eles gostam, pois conseguem fazer a preparação juntos.

“Já lutamos em outros cards, mas não ficamos nervosos, muito pelo fato de um confiar no trabalho do outro. Conseguimos acompanhar no corner a luta do outro, mas dá aquele friozinho na barriga. Se Deus quiser, vem mais vitórias ai. A parte boa de lutar no mesmo card é que estamos juntos. Crescemos juntos, um ajudando o outro e estamos muito confiantes que vamos trazer duas vitórias e dois prêmios”, concluiu Davella.

Lutar pelo cinturão

Comentários via Facebook