Érika nega dependência de Marta na seleção feminina de futebol

Rio de Janeiro – Eleita cinco vezes consecutivas a melhor jogadora do mundo, Marta é a estrela da seleção brasileira feminina de futebol. Mas a zagueira Érika nega que o protagonismo da companheira de equipe tenha se transformado em dependência. Para os Jogos Olímpicos do Rio, a defensora espera contar com a “luz” de todas as jogadoras.

“A Marta não joga sozinha, futebol é coletivo. É normal isso ser especulado, mas não tem apenas ela jogando, temos um elenco completo. E sabemos muito bem que vai depender de todas as meninas, até do banco”, destaca. E Érika completa: “A Marta vai ser mais uma para ajudar a gente”.

Apesar de dividir a responsabilidade entre as integrantes da equipe, a zagueira classifica Marta como “fenomenal” e elogia também a qualidade de Cristiane e Formiga. No Rio, a seleção brasileira busca a inédita medalha de ouro olímpica. Érika também faz questão de dizer que o sonho é compartilhado por todo o grupo.

“Não é porque só a Marta quer, a delegação inteira quer muito esse ouro, a gente vai ajudar ela de qualquer jeito e ela vai ter de nos ajudar de qualquer jeito”, afirma. A zagueira do Paris Saint-Germain acredita que uma medalha nos Jogos Olímpicos trará mudanças para a modalidade. “Vai ser importante para o futebol feminino crescer cada vez mais no Brasil”.

Esse pensamento é compartilhado pela atacante Bia, que atua na Coreia do Sul. “A gente muitas vezes acaba tendo de ir para fora para conquistar algo maior para a família e para si. Tenho fé que, com o ouro, a gente vai conseguir dar um passo muito grande para o futebol feminino”, projeta.