Fifa vai decidir se Santos, Fla, Grêmio e São Paulo são campeões mundiais

Entidade se reúne para discutir 'validade' da Copa Intercontinental como campeonato mundial de futebol

Estadão Conteúdo/redacao@diarioam.com.br

Rio de Janeiro – O Conselho da Fifa (antigo Comitê Executivo) da entidade máxima do futebol mundial vai se reunir na próxima semana para tratar de um tema polêmico: reconhecer – ou não – como campeões mundiais os clubes vencedores da Copa Intercontinental, o confronto entre europeus e sul-americanos que durou de 1960 até 2004, o que afeta diretamente quatro equipes brasileiras: Santos (que ganhou em 1962 e 1963), Flamengo (1981), Grêmio (1983) e São Paulo (os títulos de 1992 e 1993).

Muller, que comemorou os títulos do São Paulo em 1992 e 1993 (Foto: Orlando Kissner/AE)

Segundo informações do portal UOL Esporte, a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) foi a entidade responsável pela solicitação, já que a Fifa nunca admitiu, ao menos oficialmente, de que os vencedores da Copa Intercontinental são verdadeiramente campeões mundiais. Os títulos da Copa Rio, vencida pelo Palmeiras em 1951 e pelo Fluminense em 1952 não estarão em discussão.

Em janeiro deste ano, após ser questionada pelo Estado, a Fifa afirmou que considera campeões mundiais somente os clubes vencedores de seus torneios, que ocorreram em 2000 e depois ininterruptamente a partir de 2005 – os brasileiros Corinthians (duas vezes) São Paulo e Internacional ganharam essa competição.

Polêmicas

Em 2015, o Estado havia feito a mesma consulta para a Fifa, então presidida por Joseph Blatter. Naquele momento, porém, a resposta fora diferente. A entidade se limitou a esclarecer que reconhecia o torneio de 1951 como a primeira competição de dimensão mundial, sem qualificar se havia uma diferença entre os vencedores do pasado e os atuais.

Em 2014, em conversa com a reportagem, Blatter, chegou a informar que enviaria um certificado a cada um dos campeões mundiais desses demais torneios, reconhecendo seus feitos.

O Palmeiras recebeu um fax sobre o assunto e sendo informado de que o time merecia tal condecoração, posteriormente não reconhecida pela entidade – já que agora, sob o comando de Gianni Infantino, o entendimento é que uma coisa é “intercontinental” e outra é “mundial”.