Ginastas brasileiros se garantem em todas as finais da Copa do Mundo na Bulgária

As decisões serão divididas em dois dias

Estadão

São Paulo – A ginástica artística do Brasil teve um dia extremamente positivo nesta sexta-feira na etapa de Varna, na Bulgária, da Copa do Mundo da modalidade. Nas classificatórias dos dois naipes, os sete ginastas inscritos na competição garantiram vaga para as finais em todos os aparelhos.

As decisões serão divididas em dois dias. Neste sábado fica reservado para o solo, cavalo com alças e argolas no masculino; e salto e assimétricas no feminino. Já no domingo, as competições serão no salto, paralelas e barra fixa no masculino; e trave e solo feminino.

Thaís Fidelis, Daniele Hypolito e Rebeca Andrade
Thaís Fidelis, Daniele Hypolito e Rebeca Andrade Foto: Divulgação

Na trave, Thaís Fidelis foi a primeira colocada, com 14,000, e Daniele Hypolito a segunda, com 13,500. No salto, Rebeca Andrade garantiu vaga na final com a primeira colocação, somando 14,725. Daniele foi a quarta colocada na classificatória do aparelho, com 13,550. Nas assimétricas, Rebeca ficou em primeiro, com 14,450, e Thaís em segundo, com 12,600. No solo, Thaís foi a primeira, com 13,900, e Daniele a segunda, com 13,300.

No masculino, Arthur Nory foi o segundo colocado no solo (14,300). No cavalo com alças, Francisco Barretto terminou a qualificatória na quarta colocação (14,000). Nas argolas, Caio Souza ficou em sexto, com 13,800, no salto Arthur Nory terminou em segundo com 14,350 (14,700/14,350) e, nas paralelas, mais dois brasileiros classificados: Caio Souza em segundo (14,750) e Francisco Barretto em quarto (14,450). Caio também conquistou vaga na final de barra fixa com a terceira posição (14,000).

Para Ricardo Yokoyama, técnico e chefe de delegação, foi um resultado muito positivo e a expectativa para as finais são excelentes. “Os atletas brasileiros representaram muito bem as cores da nossa bandeira. Em todos os aparelhos temos pelo menos um finalista. Amanhã (sábado) começam as finais e as expectativas são grandes com relação à conquista de medalhas. Sabemos que nas finais tudo pode acontecer, mas os brasileiros demonstraram que vieram muito forte”, disse.