Mando de campo rendeu só 10 vitórias

Diogo Rocha / vencer@diarioam.com.br

Manaus – O fator casa pode influenciar positivamente em um resultado em campo? Se depender do retrospecto dos clubes do Amazonas na Copa do Brasil, nem sempre é vantajoso. De 1989 até este ano, os times do Estado conseguiram apenas dez vitórias como mandantes, em 46 jogos.

A soma dos triunfos com os empates (13) se iguala à quantidade de derrotas: 23 reveses. A eliminação do Fast Clube pelo Vila Nova (GO), com empate em 1 a 1, na última quinta-feira, na Arena da Amazônia, em Manaus, contribuiu para reforçar as estatísticas.

A desclassificação do Princesa do Solimões, de Manacapuru (a 68 quilômetros a oeste de Manaus), com derrota por 2 a 0, também na estreia da Copa Do Brasil, diante do Internacional (RS), não foi contabilizada neste histórico. O Tubarão jogou em Cascavel (PR), na quarta-feira, após vender o mando de campo da partida com o Inter.

Nos 28 anos que o Amazonas disputa a Copa do Brasil, os raros casos de vitórias começaram somente 11 anos após a primeira edição do torneio, em 1989. O Nacional foi o pioneiro. Em 2000, o Leão da Vila derrotou, por 3 a 2, o Remo-PA, no extinto Estádio Vivaldo Lima, o Vivaldão, em Manaus, no jogo de ida da segunda fase.

Naquele ano, o clássico Rio-Nal, entre Nacional e Rio Negro, foi disputado, pela etapa inicial da Copa, com dois empates em 1 a 1. A vaga para fase seguinte foi decidida nos pênaltis, com vitória do Naça, por 4 a 2. Atualmente, o Nacional também é o clube do Estado com mais vitórias, dentro de casa, pela competição.

De todos os triunfos, o Leão da Vila foi protagonista em cinco. Além da vitória sobre o Remo, o Naça repetiu, no ano seguinte, em 2001, a façanha de derrotar um time do Pará: o Paysandu, por 3 a 0, novamente no Vivaldão, pela primeira fase da Copa do Brasil.

O Nacional ainda ostenta o status de ter a melhor campanha de um time do Estado na Copa do Brasil. O feito histórico foi em 2013, quando o Leão chegou à quarta fase, após eliminar o Águia de Marabá-PA, por 2 a 0, o Coritiba, por 4 a 1, e a Ponte Preta, por 1 a 0.

A vitória mais memorável na Copa do Brasil pertence ao São Raimundo. Em 2003, o Tufão superou a equipe do São Paulo, por 2 a 0, em Manaus, antes de ser goleado por 6 a 0, no jogo de volta. Na época, o Tricolor contava com Kaká, Luis Fabiano, Léo Moura, Ricardinho e Rogério Ceni no time.

O Nacional também é o time local com mais derrotas sofridas como mandante na Copa. Foram nove reveses, sendo os mais contundentes para o Flamengo, por 6 a 2, em 1997 (1ª fase), o Cruzeiro, por 5 a 2, em 2006 (etapa inicial), o Corinthians, pelo placar de 3 a 0, em 2014 (2ª fase).