Nacional vai ao Gilbertão encarar o Galvez neste sábado

Diogo Rocha / portal@d24am.com

Manaus – Neste sábado (18), o Nacional reencontra o Galvez-AC, pelo jogo de volta da fase preliminar da Copa Verde, às 15h30, no Estádio Gilbertão, em Manacapuru (a 68 quilômetros a oeste de Manaus), estreando oficialmente o novo técnico Arthur Bernardes. Após empatar em 1 a 1, no Acre, o Leão da Vila avança para primeira etapa do torneio, onde o Paysandu (PA) aguarda a definição do adversário, com um empate sem gols ou uma vitória simples.

Desde sábado em Manaus, Bernardes entrou no lugar do treinador Aderbal Lana, que pediu demissão, na semana passada, para assumir o Rio Negro, no Estadual. Sem indicar reforços, ele trabalhou apenas com o elenco formado pelo antecessor.
O técnico afirmou que não pensa em dispensas. Mas que o jogo decisivo com o Galvez servirá de análise do grupo atual. Bernardes considera a quantidade de jogadores insuficiente (há 24 atletas), e deverá solicitar, posteriormente, até quatro reforços.

“Em uma semana de trabalho, em treinamento, você tem um nível de avaliação. Nos jogos, é outro nível de avaliação, as reações psicológicas, técnicas e táticas se apresentarão, agora. Iremos detectar as diferenças de jogo e treino (para o elenco)”, disse o treinador.

Com apenas sete dias no comando do Nacional, o técnico Arthur Bernardes usou a tradicional estratégia de ‘esconder o jogo’ para tentar surpreender o adversário. No último treino do time, no CT Barbosa Filho, ontem, antes da viagem para Manacapuru, Bernardes não permitiu que a imprensa observasse as jogadas ensaiadas e nem a provável formação tática.

“Sou debutante no Norte do País e é uma responsabilidade muito grande, porque não tem nem uma semana que cheguei. Entrar em uma decisão é um pouco complicado, reconhecendo que o adversário tem muitas virtudes”, comentou Bernardes, que, em 2016, foi vice-campeão da Copa Verde, com o Gama (DF).

Para Arthur Bernardes, a possibilidade de se classificar com um empate em 0 a 0 não pode ser considerada vantajosa. “Eu, pessoalmente, não gosto muito dessas ‘vantagens’, entre aspas. É até perigoso, porque fica confiando em um resultado desses e acaba surpreendido, no final do jogo, e perde uma classificação. Em uma fase inicial, não vou pensar em empatar”, afirmou.

Caso a partida entre Nacional e Galvez termine com o placar de 1 a 1, a decisão da vaga será nos pênaltis. O meia Diego Soares acredita que as condições do campo do Estádio Gilbertão podem facilitar um jogo mais técnico da equipe. “O campo (do Florestão, no Acre) não ajudou nenhum time. Aqui (no Amazonas), com o campo seco, dará para mostrar nosso trabalho”, disse.

Indicado pelo ex-técnico do Nacional, Aderbal Lana, o volante Alan Bahia revelou que a postura tática não deve mudar com a troca de comando. “Não tem diferença, sabemos que quando muda (técnico) é um pouco difícil. Mas estamos assimilando bem”, afirmou.