Perícia trabalha com hipótese de curto-circuito como causa de incêndio

De acordo com o governo do Rio de Janeiro, a perícia está sendo finalizada e quatro corpos já seguiram para o Instituo Médico Legal (IML), no centro da cidade

Agência Brasil / redacao@diarioam.com.br

Rio de Janeiro – A perícia trabalha com a hipótese de um curto-circuito em um dos aparelhos de ar-condicionado como a principal causa para o incêndio em um dos alojamentos do Centro de Treinamento do Flamengo, o ‘Ninho do Urubu’, que matou dez pessoas e feriu três, na madrugada desta sexta-feira (8).

“É muito cedo para dizer se foi por causa da rede que deu pico, se foi por causa do aparelho de ar-condicionado ou se foi a rede interna daqui”, disse o vice-governador do Rio, Claudio Bonfim. Segundo ele, os bombeiros foram chamados às 5h14, saíram do quartel às 5h17 e chegaram ao ‘Ninho do Urubu’, às 5h38. O fogo já estava controlado às 6h30.

Incêndio no centro de treinamento do Flamengo deixa dez mortos (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

De acordo com Claudio Bonfim, a perícia está sendo finalizada e quatro corpos já seguiram para o Instituo Médico Legal (IML), no Centro do Rio. Entre os mortos, há atletas e funcionários do clube. Todos estão carbonizados o que dificultará a identificação. “Vai depender do DNA ou se há outras formas de reconhecimento”, disse o vice-governador.

Ele adiantou que existe a preocupação de trazer as famílias das vítimas para a cidade, já que muitas moram foram do estado. Para isso, as companhias aéreas estão sendo procuradas. Os atletas estavam alojados em um container e seriam transferidos na semana que vem para acomodações mais modernas.