Rio-Nal é marcado por cheques sem fundos e dívidas

Rio Negro e Nacional ainda não pagaram tudo o que devem a jogadores pela disputa do Campeonato Amazonense. Clubes admitem as dívidas e até deram prazo para resolver pendências

Thiago Fernando / redacao@diarioam.com.br

Rodrigo Ítalo foi o capitão do time do Rio Negro e também não recebeu (Foto: Antônio Assis/Divulgação FAF)

Manaus – O Campeonato Amazonense desta temporada terminou, no último dia 14, com a disputa do terceiro lugar quatro dias depois da final – apenas uma das bizarrices da competição organizada pela Federação Amazonense de de Futebol (FAF) –, porém, para alguns jogadores do Rio Negro, o Estadual está longe de ficar no passado. Fora da fase final da competição, o Galo terminou a participação dele no dia 13 de maio, contra o Penarol, em Itacoatiara (a 176 quilômetros a leste de Manaus). Mesmo assim, uma boa parte do elenco ainda não recebeu o valor combinado pelo término do contrato.

Parte deles está sem receber há quase três meses. Em outros casos, como do meia Léo Olinda, que acertou um pacote para o Estadual, o valor acordado não foi repassado.

Um atacante, que preferiu não ter o nome divulgado por orientação dos advogados, informou que chegou a receber um cheque sem fundo dos diretores do Galo. Ele disse que o cheque era de pessoa que nem fazia parte da administração do clube. “Recebi um cheque do clube, antes de ser liberado. Depositei e ele voltou, duas vezes. Depois de dois meses, depositaram a metade e brigaram comigo, falando que não vão mandar o resto. Eu só quero o que é meu de direito”, cobrou o jogador, que ainda tem 15 dias de trabalho para receber.

O lateral Rodrigo Ítalo confirmou que alguns companheiros de clube passaram pelo mesmo perrengue de depositar cheques sem fundo. “Eles não me deram cheque, porque sou de fora, mas moro em Manaus. A maioria dos jogadores de fora recebeu cheques sem fundo. Os jogadores só iam embora se tivessem uma garantia. Alguns jogadores já receberam, mas outros ainda não viram a cor do dinheiro”, citou Ítalo.

O Rio Negro informou que “o departamento de futebol reconhece o débito com parte do elenco que disputou o Campeonato Amazonense de Futebol Profissional 2017 e, atualmente, cerca de 13 funcionários, entre atletas e membros da comissão técnica, ainda não receberam o previsto em contrato pelos serviços prestados ao clube”.
A diretoria, no entanto, citou que tem o compromisso de quitar o saldo devedor até o dia 30 deste mês. “Infelizmente, o planejamento financeiro para a disputa do Estadual foi diretamente afetado pela eliminação na primeira fase da competição, o que resultou na saída de parceiros importantes que colaboravam para o pagamento das despesas com o futebol”.

Naça na mesma situação

Maior rival do Rio Negro, o Nacional também foi acusado de não ter liquidado os débitos com os jogadores. Na última semana, o atacante Jefferson Araujo informou ter recebido um cheque sem fundo do Leão. O clube informou, por meio de nota, que está resolvendo a situação com o atacante.