Thiago Silva será o capitão do Brasil no amistoso contra a Argentina

O zagueiro não atuava na função desde a Copa do Mundo de 2014, quando foi alvo de críticas por chorar e ficar de fora da disputa de pênaltis contra o Chile

Estadão Conteúdo

A escolha de Thiago Silva também faz parte do rodízio de capitães implementado por Tite na seleção (Foto: Reprodução)

São Paulo – O zagueiro Thiago Silva não será apenas titular da seleção brasileira no amistoso contra a Argentina, nesta sexta-feira, às 6h05 (horário de Manaus), em Melbourne, no primeiro jogo em que começará jogando pela equipe em cerca de dois anos. Ele também foi o escolhido pelo técnico Tite para ser o capitão do Brasil no clássico.

Utilizar a braçadeira de capitão não chega a ser uma novidade para Thiago Silva. Porém, desde a Copa do Mundo de 2014, quando tinha essa função, acabou sendo alvo de críticas por chorar e ficar de fora da disputa de pênaltis contra o Chile e por ter levado um cartão considerado “bobo” contra a Colômbia, o que deixou de fora das semifinais contra a Alemanha.

E a sua situação não melhorou com o retorno de Dunga para a seleção. O zagueiro perdeu a faixa para Neymar e reclamou publicamente. Depois, cometeu pênalti nas quartas de final da Copa América de 2015 contra o Paraguai, no jogo que selou a eliminação do Brasil da competição e que também foi o seu último como titular da equipe.

Aos poucos, porém, Thiago Silva foi recuperando a sua moral e recebendo chances de Tite. O zagueiro atuou por alguns minutos contra a Argentina, em novembro de 2016, e também em todo o segundo tempo do duelo com o Paraguai, em março, pelas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018. Agora terá uma chance como titular e capitão do Brasil.

“Encaro com naturalidade essa responsabilidade. A partir do momento em que o Tite me convocou para a Seleção é porque ele tinha confiança no meu trabalho. Essa coisa de ser capitão, o mais importante é ter o respeito. Procuro ser sempre o Thiago Silva, verdadeiro no que faço e falo”, comentou o zagueiro do Paris Saint-Germain.

A escolha de Thiago Silva também faz parte do rodízio de capitães implementado por Tite na seleção. Antes dele, a braçadeira passou por Miranda, Daniel Alves, Renato Augusto, Filipe Luís, Fernandinho e Neymar, além de Robinho, em amistoso em que a seleção só contava com jogadores que atuavam no futebol nacional.

Agora, além de exibir a sua liderança em campo, Thiago Silva, atuando ao lado de Gil, tentará parar grandes nomes do futebol mundial, como Messi, Dybala e Higuaín, para aumentar a “sombra” dos titulares Miranda e Marquinhos, fora dos amistosos do Brasil na Austrália, na briga por uma vaga na seleção.